Desafios e recompensas do empreendedorismo

O empreendedorismo no Brasil enfrenta diversos desafios, incluindo burocracia excessiva para abrir e manter um negócio, altos impostos, instabilidade econômica e dificuldade de acesso a crédito. Além disso, a falta de infraestrutura e a deficiência na educação empreendedora também são obstáculos para aqueles que desejam começar seu próprio negócio. No entanto, as recompensas são numerosas, e podem incluir oportunidades de mercado em setores diversos, uma população ainda jovem e ávida por inovação, e potencial de crescimento em um país com grande mercado consumidor.

Antes do mercado financeiro, tive uma boa e longa experiência com empreendedorismo assim que saí da faculdade, em 2000, ao criar uma empresa de tecnologia para a área de segurança e controle de acesso. Ao final de 2015, vendi a empresa para a ASSA ABLOY, maior multinacional global do setor. Dessa experiência extrai diversos insights sobre desafios e recompensas do empreendedorismo.

Desafios

  1. Burocracia e complexidade regulatória: O processo de abrir e manter um negócio no Brasil é marcado por uma burocracia excessiva, o que pode desencorajar novos empreendedores e aumentar os custos operacionais. Muito se fala dos impostos, porém muitas vezes a burocracia maçante é ainda mais desfavorável ao empreendedor. Na minha trajetória, certa vez fomos autuados por digitar um código errado na guia de recolhimento, ou seja, cumprimos a obrigação de pagamento. O recurso foi para os cofres públicos na data correta e mesmo assim fomos penalizados por uma obrigação acessória. Isso ocorre pois, muitas vezes, as próprias instruções normativas da Receita não são eficientes. Diariamente são emitidas tantas normas tributárias que muitas vezes elas contradizem umas às outras. E, com isso, o empreendedor vai gastando energia e dinheiro com equipes jurídicas para reaver o que lhe é de direito, tirando foco do negócio.
  2. Carga tributária elevada: Assunto já muito batido, infelizmente, os altos impostos sobre empresas no Brasil representam uma barreira significativa para empreendedores, especialmente para pequenas e médias empresas.
  3. Instabilidade econômica: A instabilidade econômica do Brasil, caracterizada por inflação, flutuações cambiais e políticas governamentais imprevisíveis, também pode dificultar o planejamento de longo prazo e o crescimento dos negócios.
  4. Acesso limitado ao crédito: Muitos empreendedores no Brasil enfrentam dificuldades para obter financiamento, dada a irresponsabilidade fiscal do poder público que aumenta o custo da dívida e, com isso, oneram as taxas de juros que inviabilizam a tomada de empréstimos.
  5. Infraestrutura deficiente: A falta de infraestrutura de transporte, logística e energia pode dificultar a operação eficiente de negócios em várias regiões do país.

Recompensas

Muito embora os empreendedores enfrentem os desafios acima, sempre procurei manter um olhar otimista, vendo a metade cheia do copo. O empreendedor no Brasil precisa ter essa característica! Até porque existem sim recompensas e elas são gratificantes.

  1. Potencial de escalabilidade: Empreendedores no Brasil têm a oportunidade de expandir seus negócios além das fronteiras nacionais, aproveitando o tamanho do mercado interno e explorando oportunidades globais. Tanto é que ao final de minha trajetória fomos procurados pela maior multinacional global do nosso setor, ASSA ABLOY, empresa listada em Nova York, que por fim adquiriu nossa empresa. Inclusive nosso faturamento na ocasião possuía quase 30% de exportação para países Latam.
  2. População jovem e ávida por inovação: Com uma grande parcela da população brasileira composta por jovens, há um grande potencial para a adoção de novas tecnologias e modelos de negócios inovadores.
  3. Ecossistema empreendedor: Apesar dos desafios, o Brasil também conta com uma crescente rede de incubadoras, aceleradoras e programas de incentivo ao empreendedorismo, assim como gestoras privadas fornecendo suporte, mentoria e recursos para novos empreendedores, impulsionando seu crescimento.
  4. Mercado em crescimento: O Brasil possui uma população grande e diversificada, oferecendo oportunidades em uma variedade de setores, desde tecnologia até agricultura e serviços.
  5. Cultura empreendedora vibrante: O Brasil possui uma cultura empreendedora vibrante, criativa, com uma comunidade cada vez mais conectada e colaborativa de empreendedores, investidores e mentores, criando um ambiente propício para o crescimento dos negócios.

Apesar dos desafios significativos, o empreendedorismo no Brasil oferece um terreno fértil para aqueles dispostos a enfrentar os obstáculos e aproveitar as oportunidades disponíveis. Todos os setores ainda possuem alguma carência e espaço para oportunidades ou inovações disruptivas de se fazer algo de modo diferente dado o acesso à tecnologia que nos permite isso nos dias de hoje.

O que você precisa saber antes de vender a sua empresa

Chega um momento na vida de um empreendedor em que ele pode se deparar com uma situação bastante complexa: a venda de sua própria empresa que foi construída com esforço e dedicação.

Nessa jornada de transição, relembrando da experiência da venda da minha empresa, destaco que o planejamento financeiro se revelou como uma bússola essencial, guiando-me pelos mares desconhecidos do futuro que estava por vir.

A decisão de vender minha empresa foi repleta de reflexões e expectativas. No entanto, foi essencial abordar esse processo com uma mentalidade estratégica e meticulosa, principalmente no que tange às finanças. O sucesso dessa transação não depende apenas do valor do negócio, mas principalmente de como esses recursos serão geridos para sustentar o futuro financeiro de quem a vende.

Planejamento Financeiro

Quando o empreendedor tem um “critical event” como este, como a venda da própria empresa, é fundamental estabelecer um plano com um gestor profissional para criar uma estratégia personalizada. Torna-se necessário elaborar um planejamento financeiro cuidadoso para garantir uma transição suave e maximizar os benefícios financeiros e não financeiros. Planejar como usar os recursos obtidos é crucial para alcançar metas pessoais futuras de longo prazo.

Definir um orçamento realista levando em consideração despesas pessoais, necessidades familiares, educação dos filhos, viagens, aposentadoria e potenciais investimentos é fundamental para manter um equilíbrio entre desfrutar das recompensas financeiras da venda e a gestão sustentável e profissional dos recursos no longo prazo.

Regularmente, também é necessário revisar e eventualmente ajustar seu plano financeiro. Mudanças nas condições, objetivos de vida ou outras circunstâncias podem exigir ajustes no plano inicial.

Além da importância de os ativos financeiros serem planejados, outra questão fundamental é o planejamento de questões não financeiras, assim como o planejamento tributário. Esse processo complexo da venda da própria empresa demanda conhecimento amplo das implicações fiscais da venda e dos investimentos subsequentes. O planejamento tributário eficiente pode minimizar a carga fiscal ao longo do tempo, e algumas opções, como offshores e determinados fundos, podem oferecer benefícios fiscais.

Ainda com relação a questões não financeiras, o planejamento sucessório também pode ser uma questão para o vendedor da empresa considerar. Isso pode envolver a criação de trusts e outros instrumentos legais para a transferência desses ativos para os herdeiros.

Nessa jornada, tendo em vista a complexidade das questões acima descritas, o empreendedor pode considerar a busca por um “Family Office” para tratar da gestão profissional. Um Family Office é uma entidade que oferece uma ampla gama de serviços financeiros e de investimento personalizados para indivíduos e famílias de elevado patrimônio. Após a venda de uma empresa, um Family Office pode desempenhar um papel fundamental no apoio ao empreendedor, proporcionando uma série de serviços que visam gerenciar e otimizar seu patrimônio.

Planejamento Pessoal/Profissional

No entanto, a venda da empresa não é apenas uma transação financeira; é uma transição de vida. Planejar cuidadosamente esse período de mudança, considerando aspectos emocionais e sociais, é tão importante quanto elaborar estratégias financeiras eficientes. A busca por orientação e apoio, seja de gestores, profissionais ou familiares, é valiosa nesse momento.

Uma questão que não vejo ser explorada, porém entendo ser de extrema importância ao empreendedor que está em processo de venda de sua empresa, e recomendaria muito, é que o empreendedor tenha planos para o futuro durante o processo de venda de sua empresa, indo além das questões meramente patrimoniais. Esses planos podem envolver uma variedade de aspectos pessoais e profissionais.

Atualmente podemos ver empreendedores ainda jovens que deram saída na sua empresa e notaram que ficar sem fazer nada não é uma opção. Alguns empreendedores veem a venda de uma empresa como uma oportunidade para iniciar novos empreendimentos. Antes da venda, é importante ter uma ideia clara dos setores ou projetos nos quais o profissional deseja se envolver posteriormente. Sua experiência certamente será valiosa para orientar novos empreendimentos.

Isso tudo não significa ter pressa, mas sim um objetivo claro. Até porque o processo de venda da empresa é bastante cansativo, demandando muita energia e tempo para tratar do “deal”. Além disso, simultaneamente também é necessário gerir a própria empresa, ou seja, esse é um período difícil.

No meu caso, em que fomos abordados por um player global do meu setor para aquisição de nossa empresa, esse processo levou exatamente um ano. Ou seja, mesmo com o comprador batendo na porta e fazendo força para o “deal” sair, levou um ano de trabalho insano até a sua conclusão. O empreendedor que chega no “closing” do “deal” merece um pequeno sabático antes de implementar o próximo objetivo profissional.

Caso você se encontre na situação de venda, dedique tempo para explorar e desenvolver interesses pessoais que possam ter sido colocados de lado enquanto estava envolvido na gestão da empresa. Isso pode incluir hobbies, esportes ou atividades criativas. Investir em educação contínua pode ser uma maneira gratificante de usar seu tempo após a venda. Isso pode incluir cursos, workshops ou até mesmo buscar um novo grau académico.

A venda da própria empresa é uma jornada complexa que exige uma abordagem equilibrada entre o aspecto financeiro e as nuances emocionais. Ao adotar um planejamento financeiro profissional, o empreendedor está não apenas assegurando seu futuro econômico, mas também pavimentando o caminho para uma nova e emocionante fase de sua vida empresarial.